Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Inês Leal

Uma parte da minha historia, passa por aqui!

Inês Leal

Uma parte da minha historia, passa por aqui!

4 de Dezembro S*

Quando estamos grávidas, tentamos saber tudo o que pode e vai acontecer. Pesquisamos e pesquisamos tudo e mais alguma coisa. Todas as mudanças a cada mês, quais as alterações que o nosso corpo vai sofrer, se é normal a evolução que o feto esta a ter sobretudo aquilo que mais pesquisei foi coisas relacionadas com o parto. Relatos, informações e todo o processo envolvente. Fartava me de perguntar a todas as minhas amigas que tinham sido mães recentemente. Custou te muito?? As respostas eram sempre as mesmas, é uma dor de período forte...É merda!! (desculpem este desabafo) mas é que eu parvalhona acreditei. Fui me mentalizando de uma coisa e afinal era outra, pensei até que nem ia pedir epidural. Sim porque eu era muito boa e ia aguentar, porque afinal de contas aquilo era uma dor de período forte, logo isso conseguimos superar. Quando estava para ter o Santiago, depois de varias horas de espera e de sofrimento, só pensava..."Mas quem foi a parvallhona que me disse que isto era uma dor de período?" quer dizer, não ia preparada para tal coisa.Mentiram me!!! Bem, vou vos contar como foi a chegada do meu Santiago. Começo por dizer que não foi fácil, nada fácil! Ponderava ter três filhos, assim que o Santi nasceu a primeira coisa que disse ao João foi, "ficamos por aqui". No dia 3 de Dezembro quando tinha 38 semanas e 6 dias pelas 3h da manha senti uma contracção com dor. Nada de mais, mas senti que não era igual as outras que sentia anteriormente que nem dor davam. Não acordei o João, deixei o dormir, pois podia ser falso alarme. Mais tarde, deu me outra também assim forte.Calma que isto parece serio!!(pensei eu) Acordei o João e disse lhe que já tinha sentido duas contracções fortes. Ele perguntou me : - será que é hoje?? Não estava muito convencida. Ao longo do dia continuava a ter contracções de hora em hora. Fiz a minha vida normal, fomos dar um passeio à praia, fomos ao Atl, fomos almoçar fora e tudo como se nada fosse.Na parte da tarde comecei então a senti las de meia em meia hora até que as 19h da noite, começo a ter contracções de 10 em 10 minutos. Já não estava a ser fácil. Fui dar um banho e disse ao João; - vamos esperar até a meia noite e vamos para o Hospital!! As 21h já estava com contracções de 5 em 5 minutos, já estava a começar a passar mal.Então não esperamos pela meia noite, fomos logo. Assim que cheguei ao hospital, deram me logo pulseira vermelha(laranja) fui logo fazer o GTC e as minhas contracções já estavam realmente muito fortes. Então disseram me:"Fique descansada que dentro de 2h o seu bebé está cá fora." Que fixe pensei eu!! O João estava radiante, os olhos dele brilhavam. Portanto fazendo as contas com algum tempo extra, por volta da 00h 1h tinha o Santiago nos meus braços. Era bom não era!! Mas as 4h ainda o Santiago estava a muitas horas de nascer, e eu a morrer de dores, capaz de bater em alguém. Eish que o meu homem se vira e me pergunta(no meio daquele sofrimento todo) - achas que isso demora muito? estou cheio de fome!! Quer dizer...respeito se faz favor. Fiz lhe só um olhar, acho que ele percebeu logo, que era melhor estar calado não é? Depois vinham as enfermeiras; - Isto ainda falta - ele ainda esta muito para cima - Não está a fazer a dilatação Entre mil e uma coisa menos, aquela que queria ouvir "ele vai nascer" Era 9h da manha e eu lá andava, já não tinha posição e só chorava. Isto já não estava a ter piada nenhuma. Até que o medico veio ver me e disse, chega de sofrimento vamos para cesariana. A única coisa que me lembro é de chegar a uma sala super fresca, atarem me os braços , meterem uns tubos pelo nariz e uma mascara de oxigénio. O Santiago nasceu dia 4 de Dezembro as 9h54m com 3710 e 49cm Quando acordei, estava uma rapariga super simpática ao meu lado, acho que era auxiliar e disse me" ele já nasceu, está tudo bem e tens um bebe perfeito" Era só isso que queria ouvir. Trouxeram me o Santiago já vestido. assim que ele se encostou a minha cara meteu a mãozinha em mim e começou a chorar. Entretanto levaram no e deram me a indicação que a pediatra queria vê-lo.Foi rápido, chegou logo. Fomos para o recobro. O João nem cabia em si de felicidade.Eu também, embora estivesse estoirada. Fomos para o quarto. As enfermeiras eram espectaculares e as minhas colegas de quarto também. Mas estar no hospital, era a coisa mais deprimente que me estava a acontecer. Era para ter alta segunda feira(tinha tido o Santiago a uma sexta) e o João fazia anos (na segunda). Estava super feliz, íamos para casa no dia dos anos do pai.Quando no Domingo à noite uma enfermeira me diz " amanha ainda não vai ter alta e não sei quando vais ter" bem, o chão caiu para mim. Levei o aniversário do João todo a chorar. Já não aguentava estar ali. Terça-feira de manha: Só me queria ir embora, mas quando? As minhas colegas de quarto eram 18h já tinham tido alta, e eu continuava lá. Até que vem uma enfermeira e me diz que a medica ia me dar alta, tinham decidido mas que queria falar primeiro comigo. Foi uma louvada de ar fresco. No entanto sai do hospital com o João era umas 22h e tal... chegamos a casa e o pai já tinha preparado tudo para o Santiago. O Santiago chorou todas as noites no hospital. A primeira noite em casa, dormiu quase a noite toda seguida, estava super tranquilo. E foi a melhor sensação do Mundo, sair com ele do hospital. - Agora ele era só nosso, agora, vamos cuidar de ti, meu filho!!

20151204_145717.jpg

20151205_132144.jpg

20151206_134526.jpg

20151207_080543.jpg

20151207_122306.jpg