Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Inês Leal

Uma parte da minha historia, passa por aqui!

Inês Leal

Uma parte da minha historia, passa por aqui!

Quanto vale uma vida?

 

E aqui, conseguimos ter uma ideia de como a vida é injusta tantas vezes.

Depois de oito anos de tentativas, quando as coisas acontecem realmente tudo vai por água abaixo. Acabamos por nos perguntar, quanto vale uma vida?

São boas notícias trocadas por más, são bons os momentos trocados por nada.

Nada tem um preço certo, nunca podemos nem conseguimos julgar a nossa felicidade.

E agora? 

É um pai, solteiro com quatro filhos, mas sem uma mulher que fez parte da vida dele durante vinte anos. São quatro crianças, que vieram ao mundo em troca da mãe partir. É mais uma historia triste e sem um final feliz?

A vida é injusta, estamos consequentemente a ser crucificados sem sabermos o motivo certo.

Nunca vamos saber o dia de amanha mas uma coisa é certa, o dia de hoje!! E é isso que temos que dar importância.

Muitas pessoas não sabem, nem imaginam o que é perder alguém. Alguém de quem nós amamos de verdade.

Parece fácil, quando ouvimos as historias dos outros e damos uma palmadinha nas costas como um sinal de conforto juntamente umas palavras bonitas. Não é fácil!

Criarmos rotinas, vermos essas pessoas todos os dias e sem mais nem menos elas desaparecem, sem sabermos para onde, sem nunca mais lhes metermos a vista em cima. Mas não, não dói para quem não sabe o que é ou nem sequer imagina.

Passam a vida preocupados por coisas banais, coisas sem importância, onde o maior medo que se pode ter é de perder alguém importante para nós. Criamos uma história, uma família, amigos e no fim acabamos por perder todos aqueles que fizeram parte da nossa vida durante anos. É menos uma história na nossa vida. Menos um sorriso. É apenas um fim de uma parte de nós.

Sei o que é, o meu coração, tem vindo a perder muitas partes. Mas tenho sido mais forte do que alguma vez imaginei.

Farta de ouvir "já não à nada a fazer ", "lamento"  ,"tentamos de tudo".

A minha mesa à hora do jantar foi perdendo pratos. Foi um, depois outro e depois outro...e assim sucessivamente.

Não é bonito de se dizer, mas também é feio esconder, que já tive tantas pessoas importantes para mim e que agora conto com os dedos as que ficaram.

A campainha tocava o dia todo, foi deixando de tocar. E hoje quando toca, sabemos que não vai ser para nós e a única coisa que dá, é medo! 

Medo do que há-de vir.

Sejam felizes com aquilo que tem. Nada é nosso e tudo se vai embora num abrir e fechar de olhos.

 

 

"Uma mulher morreu após dar à luz quadrigémeos, no último sábado, no Hospital Femina, em Mato Grosso, no Brasil. Isaque, Benjamim, Samuel e Ester nasceram prematuros de seis meses e encontram-se na Unidade de Terapia Intensiva da maternidade a receber cuidados especiais para ganhar peso.
 
De acordo com o hospital, Rosângela morreu cerca de 12 horas após sofrer uma hemorragia e pré-eclâmpsia durante a cesariana. A auxiliar administrativa, de 38 anos, ainda chegou a ser levada para outro centro cirúrgico, para passar por um procedimento de emergência, mas não resistiu"

quad1.jpg